QUEIMEI OS NAVIOS

fev 9th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Queimei os navios, minha flor do Lácio Última do cerrado e o tempo frio Já estive acompanhado, hoje estou vazio Alimento o fogo no terraço Trouxe do litoral vela e pergaminho para estender impérios no varal Inventei o trono onde havia trilha lei substantiva em saga adverbial Hoje tenho sal, tenho minério domino […]



PALAVRA PERDIDA

fev 9th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Quando dorme o dorso da Terra encontre a fera, palavra síntese a medrar no escuro. Ela te acorda na manhã seguinte A madrugada é boa para poesia O poder dorme, o desamor cochila. E tuas asas, em desuso, circulam Como a carga de um casulo A infância, resto de memória Imaginada depois de […]



A DOR VEIO ABAIXO

fev 9th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Cavamos o barro no horário nobre Corpos na enxada Levamos amores mortos no ombro Torta viagem Nas costas, dívidas Torres de lixo onde era cidade Justiça é sonho em ruínas debaixo da chuva Limpam as mãos nas rotinas O verão é sujo O mal está salvo Não a vida que vira a página […]



A DOR VEIO ABAIXO

jan 15th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Cavamos o barro no horário nobre Corpos na enxada Levamos amores mortos no ombro Torta viagem Nas costas, dívidas Torres de lixo onde era cidade Justiça é sonho em ruínas debaixo da chuva Limpam as mãos nas rotinas O verão é sujo O mal está salvo Não a vida que vira a página […]



EVA

jan 15th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Mulher, nada te nega Maré, águas inversas Vento, pôquer de velas Mulher, és o que entregas Porto, rastro na pedra Onda, de verde vértebra Mulher, alguém de terra Teia, que não releva Mito, feito de areia Mulher, olhar que gela Verbo, antes da queda Maçã, mesa do êxtase Mulher, rosto a prêmio Fuga, […]



VOLTA

dez 23rd, 2010 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós O verão se anuncia quando no fim da tarde é sol do meio dia, incêndio à altura da tua vista Tempo interminável, noite curta, e a Madrugada vem na pressa de trazer de volta o sol e suas águas O vento morno mexe o cabelo das estrelas, que tremem enquanto forram a varanda […]



ORAÇÃO PARA UM VELHO MICRO

dez 6th, 2010 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Micro xucro de campanha Que te comprei aos pedaços Amarrando o barbicacho Nos teclados corcoveantes Hoje és menos do que antes Lasseaste enfim o barbante Sobreviveste aos tropeços Às retrancas e aos tombos Foste tropeando percantas De palavras estrangeiras Blogs, saites, posts, meils, Erretês e âpe greides nos daunloudes deletantes Fui te trazendo […]



CÚPULA

dez 6th, 2010 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Estar morto deve ser isso Teu corpo não mais te pertence Ele existe, remoto Onde a lua pluga o deserto Os dedos do pé, absortos Funcionam como um incêndio Que vês de longe Na abóbada de um conceito Lá moras, nessa cúpula do angelus Rodeado de pombas virtuais E sons na fila do […]



ANJO DA GUARDA

dez 6th, 2010 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Nada dispersa a atenção do anjo Nenhum segundo é feito de cansaço O rosto imerso em luz e sombra O olhar reflexo em sua guarda Se você chegar, ele não se espanta Nem cobra o passado desse encontro Esteve sempre ali, como um presente Ocultando o brilho de sua trama Ao tocá-lo, não […]



DIA DE JAZZ, POLÍTICA E POESIA

nov 24th, 2010 | Por | Categoria: Música, Poesia, Política

Nei Duclós O que se faz num fim-de-semana no país que implantou a violência em todos os lugares, cobra os tubos por qualquer tipo de lazer, impede um convívio coletivo prazeroso na maior parte das vezes e dissemina uma programação torpe na indústria do espetáculo? Cada um encontra uma saída. Eu fico no Twitter (@neiduclos), […]