Continued from:

R

RAÇA — Agrupamentos biológicos de homens constituídos em período muito antigo da evolução da humanidade. As raças se distinguem pela côr da pele, os traços do rosto, a conformação do corpo, a forma e a côr dos cabelos, etc. As raças se formaram devido à influência das condições naturais, do isolamento do homem primitivo e da ausência de comunicações entre eles. As distinções raciais não são mais do que um fator secundário ao lado do fator principal incontestavelmente estabelecido pela ciência: a unidade biológica da humanidade. As teorias reacionárias dos racistas de hoje sobre a raças "puras" nada mais são do que mentira e fraude.

O triunfo do socialismo num terço do mundo demonstrou irrefutavelmente que todas as nações e todos os povos, emancipados da exploração e do ódio recíproco, são, independentemente das distinções raciais, capazes de assimilar e desenvolver a cultura de vanguarda.

RACIOCÍNIO — Forma de pensamento que consiste em extrair um juízo novo (conclusão) que deriva necessariamente de juízos dados (premissas). O conhecimento pode ser imediato ou mediato. Certos juízos refletem a realidade fundamentando-se em uma observação imediata. É o caso dos juízos provenientes dos dados dos sentidos. Mas, a ciência não se contenta jamais com o conhecimento mediato; por meio do confronto de vários juízos formam-se juízos novos (conclusões).

Todo raciocínio compreende pelo menos uma premissa e uma conclusão. Duas condições são requeridas para que o raciocínio conduza a um conhecimento exato: 1) a exatidão das premissas, verificadas na prática e 2) a capacidade para associar os pensamentos, os juízos. Se as primeiras são exatas e as leis do pensamento são aplicadas acertadamente, o resultado obtido deve corresponder à realidade.

RACIONALISMO — Orientação gnoseológica segundo a qual a razão é a única fonte de conhecimento autêntico, por oposição ao empirismo que considera que essa fonte está na experiência sensorial.

O materialismo dialético superou o caráter unilateral do racionalismo e do empirismo e resolveu cientificamente o problema do sensível e do lógico, dos elementos conexos de um só e único processo, duas etapas necessárias do conhecimento que se completam reciprocamente. A filosofia marxista insiste no estreito vínculo desses elementos do conhecimento com a atividade prática dos homens.

RACISMO — Teoria reacionária que se apoia na tese da desiguldade original dos homens e pretende que a história da sociedade e da cultura humana obedece a leis biológicas imutáveis e eternas. Teses errôneas mas favoráveis aos interesses das classes exploradoras. Desde o aparecimento do racismo no seio da sociedade escravista, os ideólogos da reação se servem dêlo para justificar a opressão nacional e social. Seus adeptos desfiguram maliciosamente os dados da ciência para demonstrar que no mundo sempre houve raças inferiores e raças superiores; que as primeiras refratá-rias à civilização, se vêem condenadas a permanecer na escravidão, enquanto as demais, únicas depositárias da civilização, estão destinadas a explorá-las.

O marxismo-leninismo denuncia no racismo uma teoria eracionária totalmente alheia à ciência.

REALIDADE OBJETIVA — A natureza, a matéria existente fora e independentemente da consciência humana. "A matéria é uma categoria filosófica que serve para designar a realidade objetiva, que é dada ao homem em suas sensações, que é copiada, fotografada, refletida por nossas sensações e que existe independentemente delas." (Lenin, Materialismo e Empiriocriticismo).

REALISMO CRÍTICO — Uma das escolas filosóficas idealistas nos Estados Unidos, em voga durante as décadas de vinte e trinta do século XX. Essa corrente é representada por Lovejov, Pratt, Rogers, Strong, San-la y: ma e outros. Ela nega a identidade do objeto e do sujeito do conhecimento, ao contrário do neorealismo. Os realistas críticos opõem aos neo-realistas uma con-cepção agnóstica anticientífica acerca da teoria dos símbolos ou hieróglifos (Vide Teoria dos hieróglifos) criticada por Lênin em Materialismo e Empiriocriticismo, 

REALISMO INGÊNUO — Concepção materialista espontânea do mundo. Toda pessoa normal se dá conta de que os objetos existem independentemente da consciência humana. Desse modo, o realismo ingênuo expressa amiúde, sem concepção teórica, a certeza instintiva de que o mundo é material por natureza. Mas, êle não é uma concepção materialista científica e pode facilmente desviar-se para o idealismo.

"REALISMO" MEDIEVAL — Corrente escolástica que considerava que as idéias gerais (universais) tinham uma existência real, objetiva e anterior às coisas particulares. o nominalismo (vide) sustentava uma luta encarniçada contra o realismo medieval. o primeiro expressava a tendência materialista e o segundo, a tendência idealista.

REALISMO SOCIALISTA — Método fundamental da literatura e da arte soviéticas. o realismo socialista supera as limitações ideológicas do realismo anterior, é a forma superior, a forma do realismo mais conseqüente na arte.

REFLEXÃO — Segundo Locke, o conhecimento compreende, por um lado, as sensações resultantes da ação dos objetos externos sobre os órgãos dos sentidos e, por outro, a observação da atividade de nossa alma. Locke chama reflexão a esta percepção da "atividade interior da nossa alma". Para Hegel, a reflexão é um conhecimento mediato, um reflexo da essência de um fenômeno.

REFORMISMO — Corrente política no movimento operário, que substitui a luta da classe operária contra o capitalismo, mediante a ditadura do proletariado e o socialismo, por pequenas reformas que não afetam as bases do regime de exploração. o reformismo é uma das variedades do oportunismo. Tendo surgido na segunda metade do século XIX, o reformismo adquiriu ampla difusão em todos os países burgueses. Sua base social foi a "aristocracia operária", pequena camada da classe operária muito bem paga pelos patrões.

O marxismo-leninismo não nega a necessidade de que o partido proletário lute por reformas, pelo melhoramento da situação econômica, política e cultural dos operários sob o capitalismo, mas considera estas reformas como um elemento colateral da luta de classes, cujo objetivo principal é a substituição do capitalismo pelo regime socialista.

RELAÇÕES DE FORTUNA — Relações de propriedade, expressão jurídica das ralações de produção (vide).

RELAÇÕES DE DRODUÇAO — Relações que contraem entre si os homens no processo da produção dos bens materiais que constituem a base econômica da sociedade. Todo o sistema de vida social, assim como a infraestrutura da sociedade são determinados pelo caráter das relações de produção. As relações de produção influenciam o desenvolvimento das forças produtivas. Das relações de produção dependem as leis econômicas de cada modo de produção, as condições de vida e de trabalho dos trabalhadores e outros fatores que influem sobre o desenvolvimento das forças produtivas. (Vide também Forças produtivas e modo do produção.)

RELAÇÕES SOCIAIS — Relações que se estabelecem entre os homens no decorrer de sua atividade comum. Dlstinguem-se as relações materiais e as relações ideológicas. A produção dos bens materiais é a base da existência e do desenvolvimento da sociedade. Daí se deduz que as relações econômicas são as mais importantes. As relações de produção determinam o caráter de todas as outras relações sociais: políticas, jurídicas, etc, que delas dependem. Esta dependência permite explicar a marcha real da história da humanidade.

RELATIVISMO — Doutrina idealista segundo a qual o conhecimento humano é relativo, convencional, subjetivo e, portanto, incapaz de refletir o mundo objetivo. "A dialética materialista de Marx e Engels compreende acertadamente o relativismo mas não se reduz a êle, quer dizer, reconhece a relatividade de todos os nossos conhecimentos, não no sentido da negação da verdade objetiva, mas no sentido da condi-clonalldadc histórica dos limites de aproximação de nossos conhecimentos a essa verdade." (Lenin, Materialismo to límpiriocriticismio).

RELIGIÃO — Reflexo anormal, fantástico, na cabeça do homem, das forças da natureza e sociais que os dominam. Os traços essenciais de toda religião são a fé e as forças sobrenaturais, às quais se atribui a direção do mundo, e o culto dessas forças.

A religião representava a impotência do homem primitivo ante os fenômenos da natureza, temíveis e incompreensíveis para êle. Esta incapacidade suscitava-lhe Idéias sobre a existência, do mundo circundante, de seres particulares, sobrenaturais, capazes de ajudar aos homens ou de castigá-los com calamidades. Depois de ter personificado os objetos da natureza e de havê-los dotado de uma força sobrenautral, o selvagem tentou agir sobre eles por meio de magia, encantamentos e ritos. Em todas as religiões modernas há elementos de magia.

Na sociedade de classes, as crenças religiosas têm, em sua essência, origens de classe. A incapacidade do homem ante os processos espontâneos do progresso da sociedade onde reina a exploração, inventa inevitavelmente a crença nos milagres, numa vida melhor no chamado além. "A opressão social das massas trabalhadoras, sua aparente incapacidade total ante as fôrços cegas do capitalismo, que causa a cada dia e a cada hora, mil vezes mais sofrimentos horríveis e cruéis tormentos aos trabalhadores que os acontecimentos excepcionais tais como guerras, tremores de terra, etc., eis onde se tem que buscar as raízes mais profundas da religião." (Lenin, Marx, Engels e o Marxismo.) Diante das calamidades e dos sofrimentos que lhes proporciona um regime social de exploração, os homens buscam a salvação em fábulas absurdas sobre Deus, o paraíso, o reino dos céus, que o clero e as seitas religiosas difundem.

Sendo um dos elementos da superestrutura, a religião desempenha um papel ativo na consolidação da base econômica correspondente, do regime fundamentado na escravidão e na exploração do homem pelo homem. A religião sempre desempenhou um papel reacionário: ela consagra a incapacidade do homem frente a natureza e serve de instrumento para oprimir os trabalhadores. Ao pregar a submissão e a resignação, a renúncia à luta pela transformação do mundo, pelo socialismo, em nome de uma recompensa depois da morte, "no outro mundo", a religião contribui para reforçar a dominação da burguesia. "A religião é ópio para o povo", disse Marx. Tratando de convencer os homens de que o que se passa na natureza e na sociedade é a vontade dos deuses, desdenhando as leis objetivas que regem os fenômenos, negando a possibilidade de se conhecer o mundo, a religião impede os homens de penetrar no conhecimento das leis da natureza e da sociedade e de utilizá-las em seu próprio interesse. A religião tem sido e continua sendo inimiga do progresso.

REPRESENTAÇÃO — Imagem sensorial concreta dos fenômenos do mundo exterior. Com as sensações e as percepções, as representações constituem o conhecimento sensorial ou, de acordo com a terminologia de Pavlov, o primeiro sistema de assimilação da realidade Enquanto a percepção reflete um objeto isolado que atua sobre os nossos órgãos dos sentidos em circunstâncias concretas determinadas, a representação é um reflexo mais generalizado e mais abstrato. Pavlov mostra que, em relação às percepções, as representações se formam em um nível mais elevado da atividade nervosa superior.

REVISIONISMO — Corrente do movimento operário que. para comprazer a burguesia, trata de denegrir, limitar e liquidar o marxismo mediante a revisão, quer dizer, a tergiversação e negação de suas teses fundamentais. Os revisionistas procuram privar o marxismo de seu espírito revolucionário e abalar a fé no socialismo entre a classe operária e os trabalhadores.

REVOLUÇÃO — Mudança radical na vida da sociedade que conduz à derrota do regime social caduco e ao estabelecimento de um novo regime progressista, transfere o poder das mãos de uma classe (reacionãria) às mãos de outra classe (progressista). Esta aguda luta de classes no poder realiza-se através de aguda luta de classes, que amiúde assume a forma de guerra civil. A revolução é a forma superior da luta de classes todavia nem toda derrota violenta de uma classe por outra pode ser chamada de revolução; este conceito só é válido para a chegada ao poder de uma classe avançada, que abra o caminho ao desenvolvimento progressista da sociedade.Conhecem-se diversos tipos de revolução social: revoluções burguesas, proletárias, nacional libertadoras e outras. O caráter da revolução é determinado de acordo com as contradições que resolve, com as tarefas sociais que deve realizar, com a classe que está à testa da revolução.

REVOLUÇÃO CULTURAL — Parto constitutiva da re volução socialista, que implica na transformação to tal no desenvolvimento cultural das massas populares e tem por objetivo a criação de uma cultura nova, socialista. À revolução cultural se atribui como tarefas essenciais: a assimilação da herança cultural do passado por parte das massas trabalhadoras; a organização socialista da instrução pública; a formação de quadros de. intelectuais socialistas; a educação comunista dos trabalhadores. A revolução cultural se cumpre depois da instauração do poder político da classe operária, que cria todas as condições necessárias às transformações radicais no desenvolvimento cultural da sociedade.

REVOLUÇÃO SOCIALISTA — (proletária) — Derrocada violenta da ditadura da burguesia e estabelecimento da ditadura do proletariado com o fim de liquidar o capitalismo e organizar um novo regime, socialista. Os fundadores do comunismo científico, Marx e Engels, ao descobrir as leis objetivas do desenvolvimento da sociedade demonstraram que a luta de classes, na sociedade capitalista, conduzirá à vitória o proletariado. Eles criaram as bases da teoria da revolução socialista, fundamentando a necessidade da ruptura da máquina estatal burguesa e o estabelecimento da ditadura do proletariado.

Na época do imperialismo, Lenin desenvolveu as idéias de Marx e Engels sobre a revolução proletária, demonstrando a possibilidade de vitória da revolução socialista em somente um país capitalista, nas condições do imperialismo. A primeira revolução socialista triunfante no mundo foi a revolução de Outubro, realizada sob a direção do Partido Comunista, pelo proletariado da Rússia em união com os camponeses.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.