John Locke: bases de seu Individualismo possessivo e reflexos na atual menção constitucional à propriedade no brasil.

maravilhas das antigas civizações

John Locke: bases de seu Individualismo possessivo e reflexos na atual menção constitucional à propriedade no brasil. Ac. Pedro H. S. Pereira (COFIL-UFSJ). Prof. Ms. José Luiz de Oliveira- orientador (doutorando-UFMG). Prof. Welinton Augusto Ribeiro– co-orientador (IPTAN)   Resumo: Uma das garantias fundamentais resguardadas pela atual Constituição Federal, a propriedade teve como um de seus … Ler maisJohn Locke: bases de seu Individualismo possessivo e reflexos na atual menção constitucional à propriedade no brasil.

ADOLF EICHMANN: COMO PENSAR SUA CRIMINALIDADE FRENTE À SOLUÇÃO FINAL?

maravilhas das antigas civizações

ADOLF EICHMANN: COMO PENSAR SUA CRIMINALIDADE FRENTE À SOLUÇÃO FINAL? Ac. Pedro H. S. Pereira (COFIL-UFSJ). Prof. Ms. José Luiz de Oliveira (doutorando-UFMG).   Resumo: Adolf Eichmann foi um dos responsáveis pelo processo de execução de milhares de judeus nos campos de concentração em quando do vigorar do regime Nazista na primeira metade do século … Ler maisADOLF EICHMANN: COMO PENSAR SUA CRIMINALIDADE FRENTE À SOLUÇÃO FINAL?

Resenha crítica e resumo do Segundo Tratado sobre o Governo Civil de John Locke

A leitura deste texto jamais suprirá a importância da análise integral dos originais. – Pedro H. S. Pereira. Resenha Crítica da obra de John Locke “Segundo Tratado Sobre o Governo Civil” Por: Pedro H. S. Pereira (Ac. Filosofia da UFSJ e Direito do IPTAN) A leitura deste texto jamais suprirá a importância da análise integral … Ler maisResenha crítica e resumo do Segundo Tratado sobre o Governo Civil de John Locke

Algumas implicações do dois-em-um socrático na perspectiva arendtiana

maravilhas das antigas civizações

Download do texto no formato original em PDF ( downloads )

ALGUMAS IMPLICAÇÕES DO DOIS-EM-UM SOCRÁTICO, NA PERSPECTIVA
ARENDTIANA.

Por: Pedro H. S. Pereira (graduando
em Filosofia . UFSJ / Direito no IPTAN).

Orientador: Prof. José Luiz de Oliveira
(doutorando – UFMG).

Resumo

O
presente artigo aborda o princípio moral do dois-em-um socrático, e as
implicações trazidas pela sua presença naqueles que se utilizam da faculdade do
pensar, que
exercitada de maneira incessante, é capaz de nos deixar perplexos. A abordagem estende-se também
àqueles que abrem mão dessa faculdade, demonstrando as conseqüências a que
estão sujeitos. A irreflexão é fruto da massificação, e somente o exercício do
pensar é capaz de nos livrar das implicações negativas advindas deste fenômeno.

Palavras-chave: dois-em-um / pensar /
implicações.