Consciência - Filosofia e Ciências Humanas

Resumo sobre as Riquezas do Brasil Colonial


Antônio José BORGES HERMIDA – compêndio de (1963)

Resumo sobre as Riquezas do Brasil Colonial


a) O pau-


Chama-se ciclo do pau-brasil o período em que essa madeira foi a principal riqueza explorada na colónia. Mais tarde, com o estabelecimento da , inicia-ram-se a lavoura da cana e a construção dos engenhos. Com essa nova riqueza, o ciclo do açúcar substituiu o do pau-brasil.
O pau-brasil tinha por utilidade principal tingir panos mas o empregavam também como madeira de construção e no fabrico de móveis. Os índios, que conheciam suas propriedades corantes, deram-lhe o nome de ibirapitanga, palavra de origem tupi que significa madeira vermelha. Durante o período colonial tiveram os selvagens importante papel na exploração dessa árvore. Cabia-lhes o trabalho da derrubada, do corte e do transporte dos toros que eram depositados nas feitorias e depois embarcados para a Europa.
O pau-brasil era encontrado nas matas costeiras, desde o Cabo Frio ao Rio Grande do Norte. Por isso, em alguns mapas do século XVI, essa parte do litoral brasileiro aparece com o nome de costa do pau-brasil.


Para a exploração do pau-brasil o rei D. Manuel havia assinado um contrato com cristãos-novos, nome dado aos judeus convertidos ao catolicismo. Também o contrabando era frequente, feito principalmente pelos franceses. Para com-batè-lo, D. João III organizou expedições, com canhões e soldados, como a que veio ao Brasil, em 1526, sob o comando de Cristóvão Jaques. Foram as expedições chamadas guarda-costas.

 

b) A agricultura


O principal produto agrícola da colónia foi a cana-de-açúcar. Originária da Ásia, foi cultivada na ilha da Madeira por ordem do Infante D. Henrique. Não se sabe em que ano a introduziram no Brasil. Sabe-se, contudo, ter sido plantada, em São Vicente por Martim Afonso de Sousa que, em 1533, associado a negociantes estrangeiros, iniciou a construção de um engenho.
Foi, porém, em , onde encontrou solo favorável, o massapé, que a lavoura canavieira tomou grande desenvolvimento. O senhor de engenho, passou a ser considerado como um nobre, vivendo em grande luxo, respeitado e obedecido pelos e colonos que residiam em seus domínios.
Das plantas indígenas as principais eram o milho e a mandioca. Da mandioca faziam os tupis uma farinha que se tornou de uso comum na alimentação do povo brasileiro.
Desenho de Percy Lau
Paisagemamazônica. (Desenho de Percy Lau)


Outra planta indígena era o fumo,
chamado pelos colonos erva-santa, Seu uso era proibido aos cristãos e o donatário do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho, foi publicamente censurado pelo bispo D. Pêro Fernandes por ter o vício de fumar. Os índios, por rém, fumavam sob a forma de cachimbo ou charuto e essas duas modalidades do vício, acrescida depois pela do cigarro, acabaram por triunfar no mundo todo.


Também o algodão é planta indígena importante, pois deu origem a um ativo comércio e, ainda hoje, é uma das grandes riquezas do Brasil.

c) A criação de gado


Enquanto a lavoura da cana-de-açúcar se desenvolveu junto à costa, a criação de gado foi ativida-de que se propagou para o interior. Entretanto, as primeiras fazendas ou currais ficaram nas proximidades dos engenhos, pois o gado foi introduzido no Brasil para auxiliar na produção do açúcar. A criação destinava-se a fornecer animais para o transporte, mover engenhos e produzir alimentos, como leite, manteiga e carne de que precisavam colonos e escravos.
Mas o arame farpado, para as cercas, vinha de Portugal em pouca quantidade de modo que essa foi uma das causas do afastamento das fazendas de gado para o interior, pois de outra forma os animais destruiriam as plantações.


Vaqueiro nordestino


Vaqueiro caboclo  do  Marajó.

Foi Tomé de Sousa quem mandou vir das ilhas de Cabo Verde as primeiras cabeças de gado que chegaram ao Brasil. Pouco depois as fazendas estendiam-se até o São Francisco,   ocupando  o   território que é atualmente Sergipe.
Do rio São Francisco, em Sergipe, as fazendas de gado que avançaram para o interior seguiram três direções: umas subiram o próprio rio e atingiram as suas nascentes, no sertão de Minas Gerais, onde . se encontraram com criadores e que vinham da capitania de São Vicente; outras, também partindo de Sergipe, atravessaram o rio São Francisco e avançaram para o norte, povoando os atuais Estados do , Piauí. Ceará, Paraíba Rio  Grande;  finalmente,  algumas fazendas, ainda de Sergipe, tomaram o rumo de oeste, atingiram os rios Tocantins e Araguaia, povoando os sertões de " Mato Grosso e .
No Sul da colônia foram os os introdutores do gado: formaram-se fazendas nos campos dos atuais Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

Vaqueiro cabloco de marajó

Além da carne e do leite, o gado fornecia o couro que, ou era exportado ou tinha, mesmo na colónia, muitas aplicações. Houve até a época do couro: matava-se o gado, jogava-se a carne fora e aproveitava-se apenas o couro com que se fazia quase tudo: cordas, roupas, calçados e até portas e janelas das casas do interior.


d) As indústrias e as minas


Logo depois do descobrimento, iniciou-se a indústria extrativa: consistia na exploração dos produtos indígenas, principalmente pau-brasil. Mais tarde, com a colonização, o desenvolvimento da agricultura provocou o aparecimento da indústria açucareira. Outra indústria, com algum desenvolvimento na colônia, foi a do couro e laticínios.
No Brasil- fabricavam-se quase todos os artigos comuns, como calçados e tecidos, mas a sua produção era pequena, pois se destinava geralmente ao consumo local: em cada engenho havia pessoas habilitadas em todos os ofícios, para produzir o que fosse necessário, evitando-se a sua compra nas cidades.


Gaúcho em traje típicoTraje típico do gaúcho


Muitas vezes o governo mandou fechar certas indústrias ou limitou a sua produção porque havia em Portugal industriais que fabricavam artigos semelhantes è queriam vende-los para o Brasil. Foi o que aconteceu com as fábricas de tecidos, pois uma lei estabeleceu que elas só poderiam fazer panos grossos para sacos e roupas de escravos. Também a siderurgia ou indústria do ferro chegou a ser proibida durante o período colonial, ainda que fosse de grande utilidade, pois se destinava ao fabrico de instrumentos para a agricultura e ferraduras para animais.
Foi o príncipe D. João, quando esteve no Brasil, quem fèz a lei, que deu liberdade a todas as indústrias.
O descobrimento de ouro em Minas Gerais provocou o rápido povoamento dessa região, surgindo núcleos, que deram origem a muitas cidades, como e Vila Rica, atualmente Ouro Preto. Também foi descoberto curo em Mato Grosso, Goiás e Bahia.
O metal era procurado entre os cascalhos, nos leitos dos rios, utilizando-se a bateia, espécie de peneira de origem africana. Também foi encontrado ouro nas rochas mas  a sua exploração já é mais difícil, pois, para acompanhar o filão ou veio pelo interior da terra, é necessário abrir galerias e poços. Ainda em Minas descobriram -se os primeiros diamantes, A atual cidade de Diamantina teve origem no Arraial de Tijuco, onde essas pedras íoram encontradas.



Caça de ema com boleadeira
Caça de ema com boleadeiras.

Das riquezas minerais exploradas, a quinta parte era devida ao reino como imposto: tinha, por isso, o nome de quinto. Esse imposto deu a Portugal tão grande renda que D. João V pôde com ele construir obras de grande luxo, como o famoso convento de Mafra.


RESUMO Riquezas do Brasil colonial


a) O pau-brasil


Utilidades do pau-brasil: tingir panos, construção e fabrico de móveis. Localização do pau-brasil: do Cabo Frio ao Rio Grande do Norte. Exploração do pau-brasil no reinado de D.  Manuel:  arrendamento  do  Brasil aos cristãos-novos.
O pau-brusil  no  reinado  de  D. João  III:  contrabando   feito  pelos  franceses.

b) A agricultura


A . cana-de-açúcar   na   Europa:   plantada   na    ilha   da   Madeira   pelo   Infante
D. Henrique.
O  massapé:  terra própria para o cultivo da cana-de-açúcar em Pernambuco,
As plantas indígenas: milho, mandioca, fumo e algodão.

c)    A criação  de  gado


O gado nos engenhos: transportar, mover engenhos e produzir alimentos.
Primeiras cabeças de gado introduzidas no Brasil: durante o governo de Tomé  de Sousa.
As ramificações das fazendas de gado no rio São Francisco: sobem o rio, dirigem-se para o  Norte  ou para  o Oeste.
O gado no  Sul: introduzido pelos jesuítas.
A época do couro: emprego do couro em diversas utilidades.

d)    As  indústrias   e   as  minas

A indústria extrativa: pau-brasil.
Outras indústrias:  açucareira,  de couro  e laticínios. Ação da metrópole: fechamento ou restrições a certas indústrias. A siderurgia colonial: instrumentos para a agricultura e ferraduras para animais. Exploração do ouro: nos cascalhos e nos filões.
Cidades que surgiram com a exploração de riquezas minerais: Ouro Preto, Cacté e Diamantina.

QUESTIONÁRIO

  1. Quais  eram  as  utilidades  do  pau-brasil ?
  2. Que é costa do pau-brasil ?
  3. Que eram os cristãos-novos ?
  4. Que é massapé?
  5. Quais são as plantas indígenas do Brasil?
  6. Que era a erva-santa ?
  7. Que utilidade tinha o gado nos engenhos ?
  8. Por que o  gado se afastou   dos engenhos?
  9. Que papel teve o São Francisco na criação do  gado?
  1. Quem introduziu o gado no Sul do Brasil?
  2. Que foi a época do couro ?
  3. Por que não havia na colônia liberdade industrial ?
  4. Quais são os tipos de exploração do ouro ?
  5. Quais   as   cidades   do   Brasil   que   surgiram   com   a   exploração   de   riquezas minerais ?
  6. Que era o quinto?

 

Comentários

Mais textos

23 comentários - Clique para ver e comentar

Prezado visitante: por favor, não republique esta página em outros sites ou blogs na web. Ao invés disso, ponha um link para cá. Obrigado.


Tags: , , , , , , , , , , , ,

Início