Modelos interpretativos para a história do Brasil

a) Roberto Simonsen foi um intelectual ligado ao meio empresarial e industrial paulista e à criação da Faculdade de Economia da USP. Dentro do seu contexto histórico, em que a soberania do país era tema de debate e ação política, desenvolveu um modelo explicativo para a história do Brasil que deu primazia à abordagem econômica, … Ler maisModelos interpretativos para a história do Brasil

MAX WEBER, AS REJEIÇÕES RELIGIOSAS DO MUNDO E SUAS DIREÇÕES

max weber

Resumo: O
texto propõe uma análise do pensamento Weberiano de uma Sociologia do
Racionalismo, calcado na gênese da razão a partir da subjetividade humana,
capazes de gerar éticas religiosas, e consequentemente pensamentos que
desencadeiam em reações práticas pela necessidade de coerência da própria razão
humana, gerando modos de vida a partir destas. A utilização da religiosidade
indiana como exemplo da gênese do processo que leva à racionalização da fé que
nega o mundo através do ascetismo foi uma das escolhas de Max Weber na
demonstração de que não é possível analisar a História sem antes reaver os
modos de pensar que geram fatos históricos. Modos de pensamento e de vida das
principais religiões do mundo foram analisados e podem ser observados pelas
consequências econômicas destes. Tomando como base a religiosidade indiana, e
passando ao monasticismo cristão é possível avaliar o início da racionalização
da fé e do pensamento religioso e como se dão suas consequências éticas,
históricas e econômicas para vários povos.

Jean-Jacques Rousseau – resumo, fichamento, contrato social

JEAN-JACQUES ROUSSEAU por June Müller I. Contextualização 1 Iluminismo: iniciou-se na Inglaterra no fim do século XVII e atingiu o apogeu no continente (especialmente na França) no século XVIII 2 Concepções centrais do Iluminismo 2.1 Racionalismo cartesiano (Descartes) 2.1.1 Primazia da razão: é o único guia infalível da sabedoria 2.1.2 Razão: torna o homem livre … Ler maisJean-Jacques Rousseau – resumo, fichamento, contrato social