IVÁNOV – Biografia e excerto de “O trem blindado 1469”

VSEVOLOD VIAGESLAVOVITCH IVÁNOV era filho de camponeses, tendo nascido em 1895 nas estepes quirgizas. Sua mãe descendia de uma familia de deportados, seu pai era filho natural de um governador do Turquestão. Após o assassinato de seu pai por um dos próprios filhos, fugiu da escola e acompanhou, por muito tempo, um bispo ambulante. Teve depois as atividades mais diversas: aluno de um instituto de agricultura, palhaço, impressor, conferencista, acrobata.

Em 1917 entrou ao mesmo tempo no partido bolchevista e no social-revolucionário, que, apesar do nome, era adversário do bolchevista.

Gorki notou o seu talento de escritor num jornal de provincia e o introduziu nos círculos literários.

“O trem blindado 1469” è a sua obra de maior importância. Ivánov tem também contos, mais ou menos divulgados entre nós. Para esta coleção, demos preferência, entretanto, a um excerto do seu famoso livro. Não é, propriamente um conto, mas, extraído do relato geral, tem as características do gênero e põe o leitor em presença de um trecho seleto do escritor.

O trem blindado U/69 está em mãos dos brancos e percorre a Sibéria dispersando os destacamentos de revolucionários vermelhos. A revolução explodiu, em Vladivostok, o trem blindado é enviado para esmagar os bolchevistas que a dirigem. Estes encarregam o destacamento de camponeses vermelhos de Nikita Vers-chinine de fazer parar o trem. Está previsto que uma ponte sobre a qual passa a estrada de ferro saltará, antes da sua passagem, e que os revolucionários se apoderarão dele, então. Ê o que se lerá, em seguida.

Leonid Andréyev – Biografia e obra O GRANDE “SLAM”

Poucos anos depois do aparecimento de Gorki, entre 1895 e 1900, apareceu nos meios literários russos um contista, que logo chamou a atenção do público. Era LEÔNIDAS NIKHOLAIEVITCH ANDRÉIEV, nascido^ em Orei em 1871, de família burguesa, formado em Direito pela Universidade de São Petersburgo e mesmo tendo exercido a profissão de advogado, acabou abandonando essa carreira pela literatura. Viveu parte da sua existência na Alemanha e na Finlândia, onde faleceu.

Personagem bastante complexo sob o ponto-de-vista psicológico e artístico, Andrêiev foi um fiel intérprete da própria época em que viveu e dotado de bastante originalidade.

Escreveu: “O abismo”, seu primeiro e retumbante êxito (1902) seguido de “O pensamento”, “O governador”, “O riso vermelho”, etc. “O rei fome”, que escreveu mais tarde, obteve tal êxito que, num só dia, vendeu os 18.000 exemplares impressos dessa obra. Sua obra é vasta, tendo se espraiado pelo teatro, onde é considerado um artista de valor pela sua produção. O escritor é mesmo apontado como um dos renovadores modernos da cena. Seu “Diário de Satanaz” foi publicado apôs a morte.

Exilado voluntário na Finlândia depois da revolução russa com a qual não concordou, aí faleceu, vítima de um envenenamento, intencional ou talvez acidental (o escritor já havia tentado contra a vida em outros tempos) deixando uma obra digna de estudo e reconhecimento, filiada à corrente realístico-simbolista que no-seu tempo dominou a ficção russa.

Aleksandr KUPRIN – Biografia e conto UM MÁRTIR DA MODA

Entre os chamados escritores realistas e simbolistas, seguidores da escola de Gorki, devemos citar a ALEXANDRE IVANÓVITCH KUPRIN, moscovita nascido em 1870, a quem a família destinava à carreira das armas, mas que cedo optou pela das letras. “Gente de Kiev” é a sua primeira obra importante, publicada em 1896, tendo se revelado bom folclorista e agudo observador. A melhor e mais conhecida das suas novelas é “O duelo”, resultado de suas observações de uma pequena cidade de guarnição. Escreveu ainda “Gambrinus”, em que estuda um grande porto e “A Fossa”, relato da vida. das mulheres perdidas. A curta novela “O bracelete de rubis” é dos seus trabalhos o mais divulgado.

No romance, Kuprin é conhecido pelo seu discutido livro “Yàlma”, crítica à sociedade contemporânea.

Depois da grande guerra e da revolução russa, Kuprin abandonou a pátria, estabelecenão-se em Paris.

O escritor é também conhecido por ter escrito, entre outros trabalhos: “Olessia”, “Moloch”, “No circo”, <CA judia", "A boda", etc. De "Yalma", Kuprin fêz uma adaptação teatral para a cena francesa.

Lo Gatto registra a sua morte como ocorrida em 1938, sendo que outros historiadores da literatura russa dão-na como tendo sido em 1912.

ISAAC BABEL – O BEIJO

ISAAC EMMANUELOVITCH BABEL nasceu em 1894 num stibúrbio de Odessa, de família israelita. Foi educado até os 16 anos numa escola judia, depois, feitos os estudos de Comércio, foi para São Petersburgo onde o preconceito racial lhe fêz a vida dura. Escreveu seus primeiros trabalhos, novelas redigidas em francês, em 1909. Gorki aconselhou-o em 1916 a abandonar por instantes a literatura e ir viver entre os homens. Babel seguiu o conselho e se fêz cavalariano do Exército Vermelho de Buãieny e só começou a publicar em l92Jf. Seus “Contos de Odessa” e sua “Cavalaria Vermelha” colocaram-no. rapidamente, entre os primeiros escritores de sua pátria.

Babel se iniciou como um narrador da pequena burguesia hebraica. Depois contou sua experiência militar de cavalariano de Budieny, mas também narrou fatos da revolução nos campos (“Húmus”, “Virineia”) e episódios da vida dos menores abandonados, os chamados “bezprizòrnyie”, durante os anos da guerra civil (“Os transgressores da lei”, “Três amigos”, etc.). “Artista de agudíssima intuição, Babel soube dar em pequetios quadros, justamente chamados por Voroskij de minia-tuaras, um complexo épico e lírico ao mesmo tempo, de um dos momentos mais vivos da guerra civil, ora fazendo falar simples soldados, ora descrevendo em fundos de natureza quase elementares, mas precisos, cenas cotidianas, que, superando o cronológico, se afirmam como significados universais de dolorosa humanidade”, escreve Lo Gatto.

O BEIJO

UMA RAPARIGA ESTRANHA – Conto de Korolenko

VLADIMIR GALAKTIÕNOVITCH KOROLENKO nasceu na Ucrânia em 1858. Filho de um juiz com uma grande dama pertencente à nobreza polaca. Morto o pai muito cedo, Korolenlco improvisou-se professor para sustentar a família. Estudou depois no Instituto Tecnológico de São Petersburgo, mais tarde em Moscou, sempre vencendo grandes dificuldades de vida, acontecendo ser exilado para Kronstad por ter-se metido em politica. Trabalhou na imprensa como revisor de provas. Preso e deportado, novamente, em 1879 seguiu para a Sibéria. Nessa região escreveu várias de suas novelas, que lhe deram notoriedade na sita volta ao mundo civilizado. Em 1885, tendo voltado à Rússia, foi obrigado a residir em Nijni-Novgoroã. Foi amigo de Gorki.

Dentre as suas melhores produções contam-se: “O músico cego”, “O sonho de Makar”, “Os murmúrios da selva”, geralmente conhecidos entre nós. “História de um contemporâneo meu” é autobiográfico.

Korolenko morreu em Poltava em 1921.

Revolução Russa – Crônica de Olavo Bilac

  Revolução Russa – Crônica de Olavo Bilac Não houve, durante a semana, assunto de interesse local que cativasse as almas. O que as cativou, agitando-as em alternativas de cólera, de piedade, de furor e de dó, foi um assunto de interesse "humano": a tragédia da Revolução Russa, concentrando nas ruas de Petersburgo a atenção … Ler maisRevolução Russa – Crônica de Olavo Bilac