MILLENIUM E OS DESCENDENTES: O NORMAL E O BIZARRO

jan 31st, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós O desvirtuamento das fontes da riqueza de duas famílias em dois filmes de 2011 inclui o assédio do bizarro no conceito de normal e a inevitável mistura entre esses dois conceitos. Cada elemento dessa constatação pode ser colocado com clareza. Um dos filmes é Milleniun – Os Homens Que Odiavam as Mulheres, de […]



A SEPARAÇÃO: O NÚCLEO INDISSOLÚVEL DA JUSTIÇA

jan 31st, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós Todos mentem em A Separação (2011), filme iraniano de Asghar Farhadi, até que a verdade vem à tona. Mas ela não se circunscreve à Justiça e sim ao foro íntimo. É no indivíduo que está a clareza sobre o que é certo e errado, independente de posição econômica ou política, atividade profissional, religião. […]



WAR HORSE: A MEMÓRIA, EM STEVEN SPIELBERG

jan 27th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós A cena mais importante do novo filme de Steven Spielberg, War Horse (2011), é quando o soldado, de olhos vendados por ter se ferido com o gás da I Grande Guerra, identifica seu cavalo por alguns sinais particulares, que ele tem de memória. Esses sinais – quatro patas brancas e uma mancha da […]



UM CONTO CHINÊS: SOLIDÃO NÃO É OBRA DO ACASO

jan 27th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós Família é nação. Quando o núcleo familiar se dispersa, as fronteiras são invadidas, a soberania se esvai e o país pode desaparecer. Hoje, não existe nacionalidade sem desconforto. Violência, miséria, corrupção, migração, guerra desestabilizam a cidadania expulsa de suas origens. É preciso resgatá-las no continente desconhecido, ou livrar-se da carga do passado que […]



O ARTISTA: O CINEMA EM BUSCA DE SI MESMO

jan 27th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós O recente fiasco do SOPA – Stop Online Piracy Acta, do senado americano, rejeitado pelo presidente Obama, projeto anti-internet que provocou pesada reação em todo mundo, é como se os ludistas, os velhos quebradores de máquinas do início da era industrial, estivessem no poder. Se esse tipo de censura vencer, seria como se […]



AMOR E LIBERDADE EM JANE EYRE

jan 27th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós Criada em prisões – como a casa adotiva onde foi rejeitada, o orfanato onde foi espancada, a situação social subalterna da qual era impossível escapar, os castelos ermos onde não via praticamente ninguém – Jane Eyre contava apenas com o sentimento, sua bússola para uma vida honrada e em direção à liberdade. No […]



PINA, DE WIM WENDERS: A FORÇA DO GESTO FRAGILIZADO

jan 27th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós O corpo desenhado pela dança clássica representa não apenas o belo, mas a permanência, a eternidade do gesto cristalizado num conceito de arte e transcendência. O gesto extraído na coreografia de Pina Bausch (1940-2009) é o oposto: a escassez, a precariedade,a fragilidade do corpo datado e criado para desaparecer. Paradoxalmente, essa é a […]



MELANCHOLIA: O APOCALIPSE DE LARS VON TRIER

jan 27th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós O Terceiro Mundo prevê o Apocalipse, o Primeiro conta como foi. O de Von Trier em Melancholia (2011) é provocado por uma ilusão: a de que a depressão, a doença do viver, se afasta porque assim determinou a ciência. O fato é que ela aparentemente vai embora, mas se aproxima de maneira letal […]



THE TREE OF LIFE: A EPIFANIA DO ERRO

jan 27th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós A fonte do sofrimento da cultura americana é o amor masculino mal resolvido, que tem na origem a família patriarcal bruta que exige ao mesmo tempo amor enquanto impõe-se pela violência. O herói americano é aquele que procura vingar-se do seu Outro – o vilão, representação do desamor ao pai – e para […]



JOGO BRUTO

jan 15th, 2012 | Por | Categoria: Negócios

Nei Duclós Pequenos negócios não dão margem para firula. Não tente viver de sua arte no ermo, vão rir de você. Confeccionar mosaicos portugueses onde todo mundo usa bermuda e camiseta é dose. Oferecer cestos artesanais de vime com bordados é outra bobagem. O que pega é padaria, queijaria, 1,99 e uns tabefes na cara. […]