TINTIN: UMA ANTOLOGIA DO CINEMA

fev 26th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós Para justificar o título, vou citar as cenas de filmes clássicos incluídas em As Aventuras de Tintin (2011), de Steven Spielberg, para ninguém achar que é exagero. O pequeno avião que tenta bater nas pessoas, de Intriga Internacional de Hitchcock, a dupla de aventureiros do deserto que chega na cidade do oriente à […]



SCORSESE E A SEGUNDA MORTE DO CINEMA

fev 23rd, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós Desprovido de imaginação, Martin Scorsese se notabilizou por filmes apelativos e violentos, conhecidos por todos. Cavou uma grande margem entre sua obra e sua ambição, pois sempre quis ser o maior cineasta do seu tempo. Como jamais vai ser, inventou uma história do cinema em que ele é o receptor, o herdeiro. Inventou […]



GARY OLDMAN COMO ESPIÃO: O ATOR QUE SABE DEMAIS

fev 22nd, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós Cinema é para ser visto, não analisado. É como um documento de fonte primária: você vê apenas o que está colocado ali para poder saber o que ele registra de fato. No fundo, não existe conteúdo em nenhum lugar, apenas linguagem. Vamos pegar esse admirável filme Tinker Tailor Soldier spy (O Espião que […]



LOUD & CLOSE: A MORTE INACESSÍVEL E A COSTURA DA AMÉRICA

fev 17th, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós Se “loud” significa alto, por que foi traduzido para “forte” no título do filme Extremely Loud & Incredibly Close ? O filme é de 2011, dirigido por Stephen Daldry, que nos deu grandes obras, como O Leitor e As Horas. Alto ao extremo e perto (ou fechado) além da conta é o lugar […]



BANHO

fev 11th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Lavou-te o mar, beldade urbana cultivada no ácido do trânsito o banho moldou-te o mármore gotas na taça do champagne Umbigo que prova o sal, vândala vinda de fomes e jogo de ânsias teu gesto endurecido cede à onda e o corpo ganha ritmo no balanço Estás pronta, como noiva do Oriente que […]



AMOR É O QUE VOCÊ SENTE, NÃO O QUE VOCÊ AMA

fev 11th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Amor é o que você sente, não o que você ama. Muda o alvo da fogueira, a essência mantém a chama Quem te adora vai embora, o coração não reclama porque a seta de Cupido já faz parte da tua trama O amor não abandona, ao contrário do poema prometido em noite alta, […]



ESPARRAMO

fev 11th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Tudo é mistério e delicia, doçura, tudo é prazer na diferença. Barba antiga no batom vermelho, rouquidão na seda. Beijo traiçoeiro. Garra que afunda até ficares trêmula. Colar de desejos. Posta sem sossego cheiro de pêssego. Ombro no cabelo umbigo de extrema consistência Agora sem complexo. Ardor que configura o gesto esparramado pelo […]



CHORO DE PEDRAS

fev 11th, 2012 | Por | Categoria: Crônicas

Nei Duclós Sigo os russos do século 19, a era do esplendor da literatura e das artes, tão vilipendiada pelo século 20, irmão mais novo e cheio de inveja. Na seleta que tenho comentado aqui, lançado pela Martins Editora em 1964, seleciono mais duas obras primas. Uma delas é de Tchirikov, “Fausto”, sobre o casal […]



ABRIGO

fev 11th, 2012 | Por | Categoria: Romance em prosa poética

Nei Duclós Vou moderar na linguagem. Falar só no teu ouvido. Poesia completa é quando até o mar recita. Esqueci meu verso mas o recolheste no abrigo. Ele veio no teu colo me olhando meio sentido. É segredo o que digo. Mas os passarinhos escutam e levam o poema no bico Ninguém me ensinou, só […]



MALHO

fev 11th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Melhor assim, separas a palavra nicho a qual pertence meu ofício e mexes na rotina desta mágoa avesso perfil de solitário artífice Manobro o verbo de jeito ríspido aprendido nas dobras do meu vício os mestres decidiram esse destino que cumpro no malho em ferro frio Armas mortais em corações aflitos são meus […]