ALMA NO MIOLO DO DESERTO

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Alma no miolo do deserto corpo exposto, pedra miúda fio do pó no pulmão sem sopro exangue arbusto de agulhas Cães empoleirados nas estopas restos de comida e outros lixos brutos reunidos para o almoço combinam o Tempo bater sino Ficaste só, e todos estão mortos gritos de quintais e cais de acenos […]



ECONOMIA: OPOSIÇÃO À LÓGICA PERVERSA

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Política

Nei Duclós Volto ao tema da indústria financeira e a ditadura que ela impõe ao mundo, alimentando-se da economia realmente existente para gerar uma espuma de grana virtual que suga o suor das nações. Sua perversidade está clara quando prega o corte em serviços essenciais para honrar a desonra, ou seja, os juros extorsivos das […]



MINHA ALEGRIA É TUA PELE LISA

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Minha alegria é tua pele lisa deslizar nela arranca gritos de um prazer que estava ao desabrigo Tropecei em muita carne morta e triste antes de pôr a mão no teu seio e minha doce água envolver-te Um poema, por mais belo, não chega onde aportamos, nus em pelo com fogo nos olhos […]



OLHAR DE FRENTE

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Não há deserto num olhar de frente nem vento que misture a espuma basta o cabelo emoldurando o espelho e um rosto claro como o sol na duna Você, horizonte, posição incerta refém de estrela. Quando há mistério um rosto vale a pena. Superfície que o mergulho busca o flerte Mar, além do […]



O SINO DA ESTAÇÃO

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Mais um serão poético no twitter gerou os post-poemas a seguir, que giram em torno de uma despedida, do amor que não se concretiza, do eclipse, entre outros vestígios . Para complementar, alguns conceitos pelo avesso sobre ética e jornalismo. Agora se conforme, disse o anjo. Volte para seu corpo. Ainda há tempo […]



O DISCURSO DE RUPTURA NO CINEMA

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós A sociedade do espetáculo vende o que prega, não o que pratica. Amor, princípios, ética, honestidade,solidariedade devem se sobrepor ao pragmatismo, à morte, ao ódio, à vingança, à ganância, que são a rotina da vida real. Vimos como a publicidade falava em saúde vendendo gordura artificial e energia com energéticos artificiais colocados nos […]



IMAGENS SOLENES

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Crônicas

Nei Duclós O grande impacto visual da mocidade foi uma sessão de Os Dez Mandamentos, de Cecil B. de Mille, no novo cinema Corbacho, que tinha feito uma reforma e estendido o mezanino até o teto, com poltronas logo abaixo do facho de luz da projeção. “Aqui é suave” disse alguém, para expressar a emoção […]



UMA TRAGÉDIA CORPORATIVA

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Negócios

Nei Duclós O discurso corporativo de “vanguarda” imposto ao Brasil a partir dos anos 90 foi a base para sucatear o perfil empresarial do país, hoje entregue aos monopólios, fruto da fusão de bancos e grande corporações, e à venda em massa de unidades produtivas para os estrangeiros. A série de crises implantadas pelo terror […]



BALANÇO

jun 22nd, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Rabisco amassado em bolso arisco é semente de poema. Ele procura terreno baldio com vestígios de antigo jardim. Para deixar de rolar Saldo do dia: alguns tormentos, parágrafos árduos, dois poemas e uma vontade de mudança. Vida em balanço: o riso olha o rosto na lágrima Venha, disse o sonho. Mude de pele […]