SORTE

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Te visitei em sonho, estavas linda como o poema quando escrevo ilusão e beleza andam juntas no mesmo evento do meu verbo Te recito depois, cada molejo de tua pele enriquece o meu acervo imaginas o toque, musa trêmula aguardas despertar entre mistérios Não entendo o que nos pega em cheio esse ardor […]



JOHN FORD E O RENASCIMENTO DE UMA NAÇÃO

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Site do poeta, jornalista e escritor Nei Duclós

Nei Duclós Trata-se da América clássica, dos founders fathers, que se partiu na guerra da Secessão e que em dois filmes de John Ford é recosturada por meio de princípios como a tolerância, a Justiça, a paz e a coragem. Praticamente um é refilmagem do outro. Ambos tem como protagonista o Judge Priest (personagem do […]



LEVANTE

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Ao vivo sou péssimo remoto sou próximo ao lado, devoto na frente reflexo No tempo, conquista no espaço cronômetro no vento sou fôlego no mar, terra à vista Acima controlo-me embaixo te escondo montanha, desmancho planície, reponho De volta, mantenho-me na viagem, apito no trem eu revido navio, sou rebanho Caminho do avesso […]



EMBRULHO DE PURO ENCANTO

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Fugi para baixo da cama. Lá estavas respirando. Pediste que me calasse, a noite estava aprontando. Sacudia as cortinas, embrulho de puro encanto. Somos de um povo perdido, a nação feita de amantes, cercando nosso castelo, as flechas de mil cupidos . Quando a noite pede água, eu chego com minha sede, deixa […]



TELEGRAMA

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Mandas notícias do lado escuro da Lua, onde agora vives. Pedes satélite exclusivo para ficarmos juntos, me olhando pelo vidro. Esse amor sem porto nem abrigo não acena com mãos vivas, mas gestos imaginados em camas soltas no cosmo sem sentido. Pior é não ter sequer esse convite, por isso preparo o quarto […]



SOMBRA

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Sinto medo do amor, jogo de luzes que leva teus bens, arca de breu flores confusas em vaso de nuvem presentes inúteis, roupas sem uso Pura solidão, coração que tortura Perda que nunca refaz o caminho Muda sua vida ou joga no fundo? Ramo de espinho em som submisso Tremo de dor quando […]



AREIA

mai 9th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Do Leste veio o sol devolvendo abril no início da estação que está no fim amor que começou e amarga o exílio sabor que se perdeu antes de mim O céu capricha azul depois da chuva borracha sobre a dor, separação corpos que secaram ainda úmidos palavra recém dita e sem perdão Devia […]



PÓLVORA

mai 9th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Não tenho piedade, coração solitário meu trato contigo não inclui recato faço o serviço, jogamos no mato de comum acordo, couro de gata Preferes assim, flor confiscada evitas a dor, tentadora do hábito em vez do rodízio, rotina de valsa enlaças o tango, rasgo de aposta Propões desacato e eu me convenço só […]



CHUVA

mai 9th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Não posso morrer num dia de chuva nuvem que desliga o sol de outra vida chapéu de feltro e grossos veludos com sapatos molhados e mantas frias Cruzar o umbral, dependendo do clima pode ser uma boa ou a porta de um túnel eu preciso da luz da campanha florida na meia estação […]



VALOR

mai 9th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Quanto custa um beijo? A Via Láctea se o amor está no começo O Universo quando não tem mais jeito