PRIVILÉGIO

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Crônicas

Nei Duclós O tempo é o privilégio da memória. O relógio de plástico, redondo, com três pequenos pés em cima do criado-mudo. Ou o de pêndulo, a tocar gravemente as horas em salas pontuadas por sofás ancestrais, onde descansam crochês, almofadas de tecido fosco, e cortinas como velas de navio. As venezianas onde chispas de […]



GRENAL, A GUERRA CENTENÁRIA

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Esportes

Nei Duclós Grenal é Grenal, ou seja, guerra. Vale tudo, desde que o adversário perca sua louca pretensão de existir. Tem hino, marcha, farda, bandeira, pólvora, bomba. Mas há uma diferença. Nesse conflito centenário que ocupa gerações de torcedores dos dois principais times gaúchos, vitória não significa armistício. E derrota jamais é rendição. Os soldados […]



AMOR A DISTÂNCIA

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Já não pertenço a essa dor de estar a prêmio Procurado pelos proprietários do escândalo Sou pintor de jardim cultivado no pântano Carpinteiro de cenas esquecidas no ermo Fui jogado no poço como um balde de sonho De lá emito a claridade chamada abandono Viajo pelo mar imóvel que trinca o azulejo E […]



AMOR SEM FUNDO

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Luz âmbar passa o vitral e fere o vestíbulo vazio, em Veneza Ficas nua não por sedução, mas por revelação do corpo teso É tudo o que tens quando desces as vestes sem tocar a tábua E vibra o foco permitido pelo sono de ser, ao som de sonatas Teu rosto sob o […]



SELVA POLÍTICA

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Política

Nei Duclós Palavras feitas para ferir dominam a política, que assim se transforma na arena bruta de um imaginário perverso, o que exclui, numa prática que deveria ser pautada pelo espírito público. O amor ao próximo, base da religião, ou a solidariedade, fundamento do convívio social, cedem à desavença como profissão, ou pelo menos como […]



TEXTO É MÚSICA

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Redação sem Máscara

Nei Duclós Escrever não é ter o que dizer, é fazer música. Não é convidar à reflexão, recordar, exibir malabarismo ou mágica. Falo de melodia, harmonia, arranjos, improvisos, e não a barbárie do baticum, hip hop, rap ou esse pop esganiçado, espichado e interminável que nos torturam em supermercados. Escrever pode ser barulho, mas não […]



SUPERNOVA

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Crônicas

Nei Duclós A literatura são janelas abertas para mundos que sobrevivem na memória dos que já foram. É como raio que incide no interior de uma bolha isolada de todas as outras. Vemos cadeiras em varanda, cães em quintal, cavalos no horizonte, latas velhas empilhadas num canto, crianças em volta de alguém, uma cidade inteira […]



PARTIMOS DE MANHÃ

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Partimos de manhã quando a lua, sol noturno, jogava sal sobre a neblina O passo trazia a luz pelo punho A surda cidade recompunha-se A rua recolhia o lixo da fuga A ponte puxava a dor para o abismo O lábio da bruma espumava na mansa loucura. A estrada prometia o rumo O […]



RODÍZIO

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Crônicas

Nei Duclós O universo é limitado e se expande até suas fronteiras, quando então volta ao ponto de partida. O tempo é sua metáfora quando se comporta como um pêndulo. Em vez do relógio antigo de parede, prefiro a idéia de uma barca de parque de diversões, lotada de gente. Cada ponto da trajetória oscilante […]



A LÍNGUA INTRADUZÍVEL

out 26th, 2010 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Como se diz eu te amo na separação? Como expressar saudade quando a perda De sentido é irreparável? Como se pede um pão para o espírito Abandonado no cais sem nada à vista? Como invocar socorro no ruído? Incorporar-se à caravana de sons Que viajam juntos para formar a língua Mas que desiste […]