ARQUITETA

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Romance em prosa poética

Nei Duclós Achei que eu era meu próprio projeto. Mas sou obra tua, arquiteta. O coração é só um detalhe quando há tanta pele. Voltaste, andorinha. Ponha as asas em mim para eu adivinhar teus caminhos. Disseram para prestar atenção em outras coisas. Não fosses um escândalo de beleza e graça, até seguiria a recomendação. […]



AFLITA

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Acordo sem você no ninho estéril onde choco a ilusão de ser amante dormes longe no manto de deserto grossa coberta do teu corpo intacto Foi-se o tempo e eu nem vi passando estava distraído em te amar, confuso perdi a chance que apostou no impacto enredei-me no assédio do refúgio Disso é […]



PULSAR

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Romance em prosa poética

Nei Duclós Te guardas para quem? Ceda aos meus vinhos, colheita Não se queixe da tristeza. Ela guarda um pouco do coração que pulsa por alguém. Catei bituca de sonho para fumar escondido o agarro que não houve, sumida. Não me aborreça. Falas demais devendo tanto beijo. Pague a conta e depois desande, condessa. Não […]



MEIA NOITE

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Meia noite. Silêncio partido ao meio, tudo ainda no começo, o tempo perdido sempre, o amor que nunca chega. Só o sonho compensa. Meia noite. Estávamos num evento. Ficavas na outra mesa. Os olhares nos traíam. Imaginei te compondo. E me escutavas, ardente Meia noite. Montei no espaço tempo, te recolhi ainda cedo, […]



VÉU

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós A palavra é o véu que cobre a estátua do nosso corpo que um dia foi violado não esconde, pois está tudo à mostra mas mantém o que temos de sagrado É decisão da carne não ficar exposta mesmo que todos saibam os detalhes timidez de lírio com pétalas abertas intacto na sobriedade […]



SAMUEL FULLER E A NUDEZ DO MITO

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Cinema

Nei Duclós Os três primeiros filmes escritos e dirigidos por Samuel Fuller – sendo que só um não foi também produzido por ele – entre 1949 e 1951 despem os mitos que o próprio cinema vestiu. O primeiro, sua grande estréia, arrasadora, Eu Matei Jesse James, é o contraponto entre a formação do mito (o […]



AURORAS

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Romance em prosa poética

Nei Duclós Dia que passa, amor que não retorna. Crepúsculo feito de auroras. Eu vi primeiro a Lua, peguei para mim. Não mostro para ninguém, porque ela é tua. O mendigo arrastava a noite com o pé sadio, enquanto tropeçava estrelas com o outro. Saía chispas, matéria-prima de um futuro arco-íris. Repartes comigo tua vontade. […]



BOTÃO

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Romance em prosa poética

Nei Duclós Não me pergunte de onde tiro o verso. Ele sai do vento que ondula tua blusa na altura do botão que nunca fechas. Chegaste cansada e não queres conversa. Decido sair para algum canto. Tocas meu celular, aos prantos. Me falas de um amor distante. Ficas tão próxima que esqueço teu alvo. Só […]



ARTE

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Misture vidro com luz, é o poema quando cruzas manhã com janela Amasse o mel entre as letras é teu bom dia, dedicada estrela Não deixe cair, flor encoberta entrevejo pernas que me acenam puxo a cortina, calor do tempo pousa em mim no lado esquerdo É onde guardo o sentimento ferido pelo […]



QUEDA

abr 21st, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Poema não bate ponto, bate pino avisa que o poeta se coordena instaura-se pastor da corte plena atrair-te para o círculo do drama Não é rotina criar sem segurança cair do alto verso do balanço plateia a babar a desconfiança algozes que avisam quando danço É estranho inventar a ocorrência sair-se do soneto […]