TOMZÉ, TORCENDO AS REGRAS DO JOGO

mar 4th, 2011 | Por | Categoria: Música

Nei Duclós Eis uma reportagem importante que Miguel Duclós desencavou na sua pesquisa sobre o meu trabalho no acervo da Folha. Um longo texto de 33 anos atrás sobre TomZé e seu “Estudando o Samba”, bem na época em que ele não estava na moda e desenvolvia seu trabalho fundamental, mais tarde descoberto pelos americanos […]



UM BALANÇO DA LONGA ESTRADA DO ROCK

mar 4th, 2011 | Por | Categoria: Música

Resgato alguns textos que publiquei em 1977 e 1978 na Folha de S. Paulo, na Ilustrada. Aproveito (graças a Miguel Duclós, que me repassou uma cópia da sua pesquisa) que o jornal colocou à disposição seu acervo de 90 anos. Na matéria a seguir, uma arqueologia pessoal: o que eu pensava sobre rock, música, juventude […]



LUZES DE HENDRIX NO MEIO DA NOITE

mar 4th, 2011 | Por | Categoria: Música

Nei Duclós Em mais um texto resgatado da Ilustrada dos anos 70 da Folha de São Paulo, quando eu era redator e um dos jornalistas que cobriam os lançamentos de música, abordo um álbum duplo de Hendrix que contém sua obra-prima, Peace in Mississippi. Trinta e três anos depois, aqui está o trabalho, na íntegra. […]



DIA DE JAZZ, POLÍTICA E POESIA

nov 24th, 2010 | Por | Categoria: Música, Poesia, Política

Nei Duclós O que se faz num fim-de-semana no país que implantou a violência em todos os lugares, cobra os tubos por qualquer tipo de lazer, impede um convívio coletivo prazeroso na maior parte das vezes e dissemina uma programação torpe na indústria do espetáculo? Cada um encontra uma saída. Eu fico no Twitter (@neiduclos), […]



GERALDO VANDRÉ E O BRASIL ASSASSINADO

set 29th, 2010 | Por | Categoria: Música

Nei Duclós Nos debates dos candidatos, a toda hora aparece a expressão “é fundamental”, com seus clones “é essencial, é crucial”. Pela arenga adotada, ficamos sabendo que a única coisa considerada realmente importante pelos aspirantes ao cargo de guarda do butim é o poder puro e simples. Não se fala no país, como do Brasil […]



LUÍS ANTONIO, O GÊNIO QUASE OCULTO DO SAMBA

ago 1st, 2010 | Por | Categoria: Música

Nei Duclós Por que o carioca Antônio de Pádua Vieira da Costa é um nome absolutamente desconhecido do público? Sua biografia, que vai de 1921 a 1996, não deveria circular apenas entre especialistas e a velha guarda do samba. Toda vez que algumas de suas maravilhosas músicas são interpretadas, lembradas ou difundidas, sabemos que elas […]



JOÃO GILBERTO, O ESPLENDOR DA FALA

dez 18th, 2009 | Por | Categoria: Música

João Gilberto se presta ao exagero: a única coisa que lhe faz sombra é o silêncio, chão que palmilha devagar, com o passo que inventou nesta terra sem sentido e neste país assassinado. E se temos hoje uma língua, é porque João Gilberto resgatou-a, reinventando cada sílaba, pronunciando cada palavra, como um instaurador de milagres, e um fundador que não se contenta em apenas descobrir, mas cavar e levantar a estrutura completa de uma nação que hoje mora dentro de nós.



O ESPLENDOR DE CADA GERAÇÃO

dez 13th, 2009 | Por | Categoria: Música

O disco maior da música brasileira é Axé, de Antonio Candeia. Ali estão reunidas as linhagens mais poderosas do que o povo brasileiro já produziu. Com uma diferença fundamental: tudo, desde as músicas baseadas em bordões de rua, como Peixeiro Granfino (Bretas-Candeia) , passando pelos temas clássicos como a traição conjugal, até a sofisticada obra-prima Ao povo em forma de arte (Wilson Moreira e Nei Lopes), manifesta-se a denúncia, a conscientização, a indignação embalada no talento de mestre. Candeia usa a expressão do povo sofrido para apontar-lhe um rumo.



O QUE É MÚSICA?

dez 12th, 2009 | Por | Categoria: Crônicas, Música

Música é a capacidade de ouvir. Você pode ser Mozart, mas se não houver quem escute sua obra, ela não existirá. Ninguém compõe para as altas esferas, mas para que o som se propague até um receptor. A música foi assassinada quando descobriram a mina de ouro que é a banalização da batida do tambor. A sofisticação foi reduzida ao pó das baterias, e o tunc tunc se consolidou na indústria imediatista. Mais tarde, “evoluiu” para o baticum eletrônico, que é a entronização surtada da redundância.



ACROSS THE UNIVERSE: CHEGUE JUNTO

dez 12th, 2009 | Por | Categoria: Cinema, Música

Nada mais é inesquecível, tudo está na mão. A memória era um lugar, hoje é lugar nenhum. Faz parte do consumo. A cena esquecida do filme perdido está no You tube. E o resgate do passado, feito agora, acaba sendo tratado como pão adormecido. É o caso do impressionante Across the Universe, o musical que nasce clássico, lançado em 2007. É tratado como um amontoado de clipes, como diluição das músicas dos Beatles, como “mais do mesmo” dos anos 60, quando não é nada disso. É uma bela obra. Mas ficar impactado com o filme não pega bem. A moda é negligenciar a obra alheia.