DESMAIO

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós recebo o sol de leste na véspera de junho desmaia a mão do Mestre na luz da manhã pura o corpo se reverte em traços de pintura pincel na flor do verbo saindo da moldura desperto sob a sebe caiada em trigo e uva retiro-me em cardumes escolho a moradia no rumo do […]



NINGUÉM, O MAR

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Ninguém domina o mar submarino nuclear arpão de baleeira Ninguém confina o mar canais de panamá praia cinco estrelas Ninguém convida o mar drink no convés bodas de sereia Ninguém espanta o mar tropas de coral placas de fronteira Ninguém engana o mar ventos de amarrar escamas sobre areia Ninguém condena o mar […]



A VIAJANTE OBSCURA

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós A poesia é a viajante obscura, que chega no meio da tormenta, deposita os sapatos no portal, entra de mala úmida e pergunta: quem é você? Quando nos visitam, olhamos para os sapatos, as dobras, as mechas, a cor de uma pele de castigo. E baixamos os olhos, sorrindo. É você, digo Liguei […]



REPORTAGEM

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Todo segundo é memória aceno longe da rota Viver é ficar guardado no tempo que joga fora Passa presente, que é hora de despachar a bagagem Trem que se entredevora na roda do serpentário Nenhuma semente brota na fuga feita de sobras Quem não escapa reporta O encontro não faz a obra o […]



DEUS E O ACASO

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Política

Nei Duclós Tenho torrado no twitter a idéia bizarra de que a existência de Deus é uma invenção humana, como se a humanidade datada fosse capaz de gerar a idéia do infinito, que é marca da divindade na nossa alma, segundo Descartes, o mais racional dos filósofos. A abordagem fundamentalista laica é política, uma arena […]



FLAGRA

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Faltou luz na madrugada Só ficou acesa a lua cheia Fadas fazem luau em segredo na areia Ninguém escuta o barulho da balada A convite da sereia o marinheiro mergulha em confiança para o nada A lâmpada neon no resto da plumagem A lâmina de prata cega no convés Alarido de mulher atiça […]



“O SUPOSTO”, UM JORNAL ISENTO

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Redação sem Máscara

Nei Duclós Um bom nome para jornal seria O Suposto. Teria apenas verbos no condicional. Sem reportagens, apenas Boletins de Ocorrências. Sem repórteres, apenas escrivães. “Segundo” e “de acordo” seriam obrigatórios em todas as frases. As matérias teriam de confessar alguma incompetência, como a falta de retorno da fonte principal. O noticiário esportivo seria na […]



A LUTA PELA LINGUAGEM

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Redação sem Máscara

Nei Duclós No front do Twitter, reajo contra a destruição da língua, que está sendo implantada pelo governo. Detalhes da mais nova barbaridade do MEC aqui. Por isso coloquei algumas frases que são fruto do amor pela palavra, a paixão pela linguagem, a convivência com a língua culta, com o aprendizado e o ensino inesquecível […]



PERDER

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Crônicas

Nei Duclós Vemos tanta gente cantando vitória na indústria do espetáculo que chegamos a nos perguntar,como Álvaro de Campos, se “não há mais gente no mundo”. São multidões em fúria comemorando campeonatos, com seqüelas conhecidas e repetidas, nações vibrando com a morte alheia, como se a vingança apagasse a mácula, vaidades pincelando atitudes sem importância, […]



HIPERTEXTO

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Só lendo que te vejo palavra cega no ermo. Só vendo que te leio imagem surda, concerto. Só próximo te aprendo vogal perfeita, hipertexto