DEUS E O ACASO

mai 30th, 2011 | Por | Categoria: Política        

Nei Duclós

Tenho torrado no twitter a idéia bizarra de que a existência de Deus é uma invenção humana, como se a humanidade datada fosse capaz de gerar a idéia do infinito, que é marca da divindade na nossa alma, segundo Descartes, o mais racional dos filósofos. A abordagem fundamentalista laica é política, uma arena onde ela se sente à vontade pois a aborta o foco da transcendência e abre a guarda para inúmeras ações. Serve para justificar a sequência de barbaridades que estão sendo cometidas em nome da inexistência divina. No fundo, não é Deus que está em questão, mas o poder.

Como tenho muitos amigos ateus ou agnósticos, que nada tem a ver com esse rolo, abri também espaço para a diversidade do assunto, já que fechar questão nos levou a muitos morticínios. Vamos às frases:

“Xeque-mate!”, disse Deus. “Vamos começar outra”, disse o Acaso.

Deus não joga dados porque sabe o resultado

Acaso é o deus laico

Vou fazer a água evaporar em forma de nuvem, que depois vai cair em forma de água. Criei o moto contínuo. Ou não me chamo Acaso

O único up-grade que deu certo foi o da costela. Mas, também, aí não teve graça. Era Deus em pessoa na programação

Já sei! disse o Acaso. Vou colocar trilhões de corpos celestes boiando misteriosamente, alguns com vida,outros com luz própria.Nem acredito!

Registro correntes elétricas neurobiológicas de intensa atividade por ti, disse o ateu. Já eu não sinto porra nenhuma, respondeu a muher

Vou coalhar o céu de estrelas no verão e de repente fazer subir a lua cheia.Chamarão isso de equinócio bilateral, mas o que importa é a obra

Na boa. Coloco uma coisa gelatinosa no buraco de um esqueleto e ele tem a capacidade de enxergar.Depois escuto que as amebas começaram tudo

É simples. Coloco uns corpos boiando no espaço, cheios de vida dentro, uma mais complexa do que a outra, e sopro a idéia de que não existo

E agora, as sinapses, disse o deus Acaso para si mesmo

O cara mais inoportuno que existe é o Tempo. Mas, pior sem ele

Graças aos babacas pseudoreligiosos (os profissionais de Jesus) e aos fundamentalistas, o assunto Deus virou piada

O Acaso não explica nada. É apenas um álibi para negar a evidência de Deus

Laico é masculino de Laika

No Brasil, ateu usa expressão “de alma lavada”. Devia usar “de sistema neurobiológico evolutivo lavado”

Deus não bate pênalti, nem defende. Pênalti é uma negociação entre a bola e o pé

Tudo fazem para sentirmos vergonha da Igreja. Pois eu sinto exatamente o contrário. A fé em Deus e na sua Igreja é a única aliada do povo

Só a Igreja Católica tem que ser ecumênica. As outras crenças, como o ateismo ou agnosticismo, não abrem mão de seu cânone

A laicidade obsessiva é um fundamentalismo tão opressivo quanto os fundamentalismos religiosos. Nada existe fora dos seus muros

O ateismo é natural, assim como os caramujos. Deus é um pouco mais acima.

Deus escreve certo até 140 caracteres. Mais do que isso é fundamentalismo.

Deus não está confinado nas tuas orações. Existe também fora delas, como a noite infinita ao redor do fogo

Hoje é Deus. Amanhã, só Ele sabe.

Lembre da tua infância, quando Deus sentava no portal de casa contigo.

Os estádios não tem deuses. Estádio não é igreja. As bibliotecas não são lúdicas. Biblioteca não é play-ground.

Meu vizinho disse que o ficus que grudou na parede da minha casa atraía elétrons provocando ventos.Falei: acredito em Deus, mas não no átomo

Deus toma notas, não para lembrar, mas para mostrar como prova

Deus recorta o céu azul profundo com o olhar, mas a metereologia fala em “massa de ar seco”.Só a poesia capta o esplendor de março

POR ACASO, A POESIA

Não perca tempo com esses assuntos, disse Jack o Marujo. Prefira as pedras, que são eternas, ou as garças. Abrace a indiferença que liberta

Longevidade é quando prescreve o crime de ter nascido

Fantasmas se ofendem ao ser ignorados e fogem para o Tempo Ido, onde tudo obedece aos seus desígnios. Até você, que não os vê, fica submisso

Embarcamos com a mala gasta cheio de roupas porque é inverno, e aguardamos o apito do trem. É quando o sonho bate no vidro, desesperado

Depois de passar todos os comboios de palavras inúteis, vemos que na estação,o tempo todo,ao nosso lado, brotava o primeiro som de um poema

Beijo qualquer com gosto de Lua, dado ao acaso num lábio de rua, volte ao cordão que nos viu amarrados, traga a manhã ao som do dobrado

Deixar comentário