Todos os posts deste autor

HER: O AMOR PROCURA UMA VOZ

mar 1st, 2014 | Por | Categoria: Cinema, Oscar 2014

Nei Duclós   Relacionamento virtual não elimina o conflito e mantém o mesmo ritmo da realidade: começa com sintonia e deslumbramento e deságua na ruptura. Em Her (2013), de Spike Jonze, o protagonista interpretado por Joaquin Phoenix, um escritor de cartas de amor recém saído de um casamento, não entende porque põe tudo a perder […]



PECADOS E VIRTUDES EM PHILOMENA

fev 17th, 2014 | Por | Categoria: Cinema, Oscar 2014

Nei Duclós   Os pecados em Philomena (de Stephen Frears, 2013) estão bem explícitos: a Igreja Católica e seu horror ao sexo, as freiras do Sagrado Coração, malignas e vendilhonas de bebês bastardos para famílias ricas estéreis de países ricos, o silêncio e a submissão de quem renunciou ao  filho roubado e só foi atrás […]



A HUMANIDADE OCA NA TERRA DESOLADA

fev 2nd, 2014 | Por | Categoria: Cinema, Oscar 2014

 Nei Duclós   Algumas chaves ajudam a abrir a caixa preta do filme de 2013 August: Osage County (traduzido como Álbum de Família, título da peça de Nelson Rodrigues) , de John Wells. Por ser adaptação de uma peça, de autoria de Tracy Letts, que ganhou o Pulitzer em 2008 com ela e fez o […]



TRAPAÇA: AS VIRTUDES DO MAL

jan 19th, 2014 | Por | Categoria: Cinema, Oscar 2014

Nei Duclós   A realidade é uma trapaça, como o cinema. Desempenhamos papéis para sobreviver. Enganamos os interlocutores para que nos paguem por algo que oferecemos mas não entregamos. Temos vida dupla porque é insuportável conformar-se a um só destino. Buscamos desesperados parcerias para que nos ajudem a dividir a carga de viver no mundo […]



GRAVIDADE: SANDRA BULLOCK VOLTA PARA CASA

jan 18th, 2014 | Por | Categoria: Cinema, Oscar 2014

Nei Duclós   Numa situação limite no espaço hostil, para sobreviver é preciso respirar, agarrar-se a alguma coisa e assim poder voltar para casa. Sem apoio isso é impossível. Sandra Bullock tem a companhia de George Clooney, que a mantém desperta e evita que ela desista. Usa a sucata espacial de países “errados”, como Russia […]



O “REALISMO” À FLOR DA PELE

jan 18th, 2014 | Por | Categoria: Cinema, Oscar 2014

Nei Duclós   Não existem filmes realistas. A realidade é fora de forma e um filme é o exagero dos limites – enquadramento, timing, script, interpretação, direção, produção. Assim como não existem reconstituições de época e sim a disposição de cenários em função da narrativa, ser “fiel aos fatos” é só mais um recurso da […]



BLUE JASMINE: A QUEDA, SEGUNDO WOODY ALLEN

jan 18th, 2014 | Por | Categoria: Cinema, Oscar 2014

Nei Duclós   A danação é perder a segunda chance. Na contramão da cultura americana, que sempre aposta na volta por cima dos perdedores, a queda, em Blue Jasmine, de Woody  Allen, é sobre a verdadeira natureza dos vitoriosos, ou seja, sua vocação para o desastre. Destino não definido pela natureza humana ou pela luta […]



SORTE

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Te visitei em sonho, estavas linda como o poema quando escrevo ilusão e beleza andam juntas no mesmo evento do meu verbo Te recito depois, cada molejo de tua pele enriquece o meu acervo imaginas o toque, musa trêmula aguardas despertar entre mistérios Não entendo o que nos pega em cheio esse ardor […]



JOHN FORD E O RENASCIMENTO DE UMA NAÇÃO

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Site do poeta, jornalista e escritor Nei Duclós

Nei Duclós Trata-se da América clássica, dos founders fathers, que se partiu na guerra da Secessão e que em dois filmes de John Ford é recosturada por meio de princípios como a tolerância, a Justiça, a paz e a coragem. Praticamente um é refilmagem do outro. Ambos tem como protagonista o Judge Priest (personagem do […]



LEVANTE

mai 29th, 2012 | Por | Categoria: Poesia

Nei Duclós Ao vivo sou péssimo remoto sou próximo ao lado, devoto na frente reflexo No tempo, conquista no espaço cronômetro no vento sou fôlego no mar, terra à vista Acima controlo-me embaixo te escondo montanha, desmancho planície, reponho De volta, mantenho-me na viagem, apito no trem eu revido navio, sou rebanho Caminho do avesso […]