PÓLVORA

mai 9th, 2012 | Por | Categoria: Poesia        

Nei Duclós

Não tenho piedade, coração solitário
meu trato contigo não inclui recato
faço o serviço, jogamos no mato
de comum acordo, couro de gata

Preferes assim, flor confiscada
evitas a dor, tentadora do hábito
em vez do rodízio, rotina de valsa
enlaças o tango, rasgo de aposta

Propões desacato e eu me convenço
só que no fundo conheço tua lábia
é pura armadilha em cima do escravo

És dona do mundo e nada te importa
sabes que sou o mel que devotas
dentro de ti, inventora da pólvora

Deixar comentário