Vocabulário de termos filosóficos – Dicionário marxista de filosofia



Este texto está dividido em partes: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21

U

UNIDADE E DIVERSIDADE DO MUNDO — Q universo não é mais do que matéria em movimento. Não há outro mundo senão o da matéria infinita, que se move no tempo e no espaço. A tese marxista sobre a unidade do mundo material refuta, de todo, as invencionices tocantes ao "espírito criador", ao "princípio inicial do mundo", "Deus", a "idéia absoluta", etc. O mundo é uno em sua diversidade. O mundo material, a natureza, é a diversidade infinita de objetos, de corpos, de fenômenos e de processos. É a natureza inorgânica, o mundo orgânico, a sociedade, em toda a sua diversidade e sua riqueza inesgotável. A diversidade do mundo reside na diferença "qualitativa" das coisas e dos processos materiais, na diversidade das formas de movimento da matéria. A diversidade qualitativa do mundo, a diversidade de formas do movimento da matéria, existem na unidade. A unidade real do mundo é sua materialidade. A unidade do mundo e sua diversidade acham-se em relação dialética; estão íntima e indissoluvelmente ligadas entre si; a matéria única só existe sob formas qualitativamente diversas; toda a diversidade do mundo é a diversidade das formas da matéria, que é una num mundo material único. Todos os dados da ciência e da atividade prática confirmam,, indiscutivelmente, a unidade do mundo material.

UNIVERSAL — Vide Singular, particular e universal.

UNIVERSAIS — Termo filosófico adotado correntemente na escolástica medieval. Designa conceitos gerais: a espécie, o gênero e a universalidade. A questão dos universais foi o centro da discussão entre os nominalistas e os "realistas" da Idade Média. Para os "realis-tas", os "universais", considerados como entidades espirituais, ideais, tinham existência real. Os nomina-listas negavam a existência real de universais e afirmavam que somente havia coisas particulares, percep-tíveis aos sentidos. (Vide Nominalismo; Realismo medieval.)

UTILITARISMO — Ética idealista, segundo a qual o interêsse particular é o fundamento do proceder humano. O pragmatismo (vide), uma das correntes mais em voga da filosofia reacionária de nossos dias, considera que o é a "utilidade", compreendida em sentido subjetivo. O utilitarismo e o pragmatismo se destinam a provar que o bem supremo é o êxito dos homens de negócios, sua corrida atrás dos lucros. O utilitarismo permite à burguesia reacionária justificar as mais graves transgressões morais, inclusive as guerras de conquista, o emprego de bombas atômicas, etc., pois tudo isso lhe proporciona lucros fabulosos.

UTOPIA — Termo difundido depois do surgimento do célebre livro de Thomas More "Utopia", que descreve a sociedade ideal, de uma ilha imaginária. Designam -se de utópicas as doutrinas sociais quiméricas.

Comentários

comments

Mais textos

Este texto está dividido em partes: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21

1 comentário - Comente também

Prezado visitante: por favor, não republique esta página em outros sites ou blogs na web. Ao invés disso, ponha um link para cá. Obrigado.



Parceiros
  1. Blog do Miguel
  2. Conexões Epistemológicas
  3. Consistência
  4. Diário da fonte
  5. Filosofonet
  6. Ricardo Rose – Da Natureza & Da Cultura
  7. Umas reflexões
  8. Veritas


<

Início