Tecnologia e dominação ideológica na Escola de Frankfurt

  Tecnologia e dominação ideológica na Escola de Frankfurt             Ricardo Ernesto Rose Jornalista, Graduado em Filosofia e Pós-Graduando em Sociologia             A Escola de Frankfurt foi formada por intelectuais cuja linha de pensamento estava fortemente influenciada pelas teorias de Karl Marx. No entanto, estes … Ler maisTecnologia e dominação ideológica na Escola de Frankfurt

Indústria Cultural e Semiformação: a produção da subjetividade

A indústria cultural poderia ter sido um instrumento de formação cultural, assumindo fins pedagógicos, mas ela se tornou em sua história um instrumento de deformação da cultura e da consciência. Ela significou para a sociedade capitalista não somente uma indústria que cria produtos e entretenimentos padronizados, mas também um poderoso instrumento de coesão social, que incuti valores, preceitos, crenças, modos de ser, pensar, agir e valorizar, servindo de referencial para todos viverem de forma pacifica. Foi ela que ajudou a construir e universalizar os valores da sociedade do consumo. 

EDUCAÇÃO E MERCANTILIZAÇÃO NO CAPITALISMO TARDIO: UMA ABORDAGEM HERMENÊUTICA

maravilhas das antigas civizações

EDUCAÇÃO E MERCANTILIZAÇÃO NO CAPITALISMO TARDIO: UMA ABORDAGEM
HERMENÊUTICA[1]

Mauricio Cristiano de
Azevedo[2]

Resumo

Estudo de
análise bibliográfica que discute as relações entre a educação e seu possível
estatuto de mercadoria, dentro do paradigma produtivista em colapso na fase
tardia do capitalismo, problematizando pontos da teoria marxista da produção.
Os objetivos elencados visam expor ao fim a contraditoriedade da consideração
dos saberes como bens mercantis. Para tanto, o percurso argumentativo expõe a
questão da própria produção de sentido como consenso obtido pela linguagem, o
que desloca o conceito de conhecimento da posição de materialidade propalada
pela abordagem epistemológica moderna, abrindo o horizonte de sua consideração
como construção intersubjetiva. O contraponto à abordagem epistemológica é
feito pela abordagem hermenêutica especificamente nas obras de Gadamer e
Habermas, que fornecem suporte e base para a crítica do produtivismo
materialista. Com isso, mais do que uma disputa de posições teóricas, o
resultado das análises aponta para a falta de alcance das visões ortodoxas da
filosofia da consciência e do sujeito no trato com fênomenos do capitalismo
tardio e da cultura pós-moderna, o que convida a pensar o processo educativo, a
cultura escolar e os saberes da formação cultural como elementos posicionados
para além da lógica empresarial e dos objetivos e da educação como mera
preparação à competitividade do mundo do trabalho.

Palavras-chave: Educação. Marxismo. Hermenêutica.

Habermas e a Virada Linguística

maravilhas das antigas civizações

Habermas e a Virada Linguística Miguel Duclós Originalmente apresentado para o CFH/UFSC (2007) O livro Verdade e Justificação (1999), do filósofo alemão Jürgen Habermas, traz discussões que retomam e repensam, de certa forma, pontos de vista desenvolvidos em trabalhos anteriores. O Habermas de Mudanças estruturais da esfera pública (1962) e de Conhecimento e Interesse (1968) … Ler maisHabermas e a Virada Linguística

ENTRE EROTISMO E ECONOMIA GERAL – Georges Bataille

Neste capítulo Habermas tentará mostrar o pensamento de Bataille sob três prismas principais: a formação dos conceitos de heterogêneo – que levará a uma filosofia da heterologia, uma despedida da modernidade em uma filosofia da história e uma abordagem da economia geral, com a qual Bataille esperava responder à questão: como transformar a reificação (num sentido marxista) em heterelogia.

Frases, pensamentos e citações da Escola de Frankfurt

Só são verdadeiros os pensamentos que não entendem a si mesmos — Adorno A filosofia, que outrora se tornara obsoleta, permanece atual, pois perdeu o momento de sua realização — Adorno, Dialética Negativa As obras de arte são copias do vivente empírico, na medida em que a este fornecem o que lhes é recusado no exterior e … Ler maisFrases, pensamentos e citações da Escola de Frankfurt

Sobre a noção de dominação da natureza no contexto de O conceito de Esclarecimento

maravilhas das antigas civizações

Sobre a noção de “dominação da natureza” no contexto de “O conceito de Esclarecimento”. Ângelo Fornazari Batista “Dominação da natureza” e “esclarecimento” são momentos históricos que se necessitam mutuamente, dificultando, assim, uma avaliação na precedência – temporal e lógica – entre um e outro. Enquanto “o programa do esclarecimento era o desencantamento do mundo” a … Ler maisSobre a noção de dominação da natureza no contexto de O conceito de Esclarecimento

A separação entre ser e pensar e suas contradições sociais, segundo Max Horkheimer

maravilhas das antigas civizações

A separação entre ser e pensar e suas contradições sociais, segundo Max Horkheimer Por Ângelo Fornazari Batista . A Teoria Crítica tem como instrumentos metodológicos a dialética de Hegel e alguns conceitos encontrados nas obras de Marx, tais como mais-valia, mercadoria e relação de troca. Podemos dizer que para ela, a dialética é sua forca … Ler maisA separação entre ser e pensar e suas contradições sociais, segundo Max Horkheimer

Relação entre filosofia e literatura: um diálogo fundamentado na teoria de Adorno

  Relação entre filosofia e literatura: um diálogo fundamentado na teoria de Adorno Cheila Mara Battistella Monografia apresentada ao curso de Filosofia, da Faculdade de Filosofia de Passo Fundo, como requisito parcial para a obtenção do grau de Licenciada em Filosofia, sob a orientação do Ms. Gerson Luís Trombetta. Passo Fundo, dezembro de 2004 De … Ler maisRelação entre filosofia e literatura: um diálogo fundamentado na teoria de Adorno